O significado do retorno de Tim Drake

Faz mais de um ano que Tim Drake está desaparecido para os personagens do Universo DC. Dado como morto em Detective Comics #940, o personagem foi, de fato, sequestrado e aprisionado por Mr. Oz em uma instalação fora do tempo e do espaço junto com outros personagens como Mr. Mxyzptlk, Apocalypse e Prophecy. Recentemente em Detective Comics #965, o arco do Robin Vermelho começou a se concluir, trazendo muitas respostas.

O arco A Lonely Place of Living é uma referência à A Lonely Place of Dying, crossover de 1989 entre os títulos Batman e Novos Titãs que estabeleceu Tim Drake dentro da mitologia do Cavaleiro das Trevas e, através de retcon, relacionou Tim ao momento da morte dos pais de Dick Grayson – criando no jovem uma obsessão por mistérios e pelo combate ao crime, que o levou a descobrir que Bruce Wayne era o Batman, assim como Dick era seu sidekick, Robin.

Detective Comics #965 se espelha bastante nos quadros e citações das edições desse crossover, recontando a história e sendo uma importante mudança no status quo de Tim após boa parte de sua história como Robin ter sido apagada e substituída por uma breve origem medíocre.

A transição de Tim de um mero civil para vigilante restaura o fato de que o garoto originalmente não queria assumir o manto do Robin. Seu desejo era que o Batman simplesmente tivesse um parceiro novamente. Tim apenas aceitaria tal fardo após Duas-Caras encurralar Dick e Bruce em uma péssima situação onde ambos não possuíam nenhuma outra forma de ajuda. Este momento – a decisão de Tim em se tornar um herói quando ele poderia muito bem ter se afastado dessa vida – é aparentemente algo que aborrece Oz, que, como visto em Action Comics, não acredita que a humanidade seja digna do trabalho feito por diversas pessoas com intuito de salvá-la. Porém, mais do que isso, a decisão feita por Tim de abandonar tudo isso, também é algo que aborrece Oz.

Ao lembrarmos dos eventos que levaram à “morte” de Tim, vemos que ele havia sido aceito em uma universidade de bastante prestígio e estava planejando aceitar o convite. Isso, é claro, significaria o fim do Robin Vermelho como vigilante na luta pelo crime, pelo menos por este período.

Mesmo que o desejo expressado por Tim de deixar Gotham tenha incomodado Bruce, isso certamente não o impediu de trabalhar incansavelmente para descobrir a verdade em torno da morte e da abdução de Tim. Conforme explicado rapidamente por Mr. Oz, Bruce tem trabalhado dia e noite em busca de uma solução para a situação de Tim – e felizmente, Tim também não estava simplesmente sentado de braços cruzados esperando pelo resgate.

Durante a conversa com Oz, Tim constrói uma armadilha que desliga o sistema da prisão, dando a oportunidade de Tim fugir do local – o que funcionou muito bem em se tratando de sair da cela, porém, não tanto se tratando de sair do local. Ele pode até estar livre, mas ele ainda não possui a mínima ideia de onde está, e para piorar, ele não está sozinho.

Parte da fala de Oz ao questionar Tim gira em torno do fato do jovem não ter a intenção de assumir o manto do Batman em algum momento futuro, pois segundo Tim, isso foi o que tornou mais fácil sua decisão de deixar Gotham, pois ele não aspirava assumir um manto ou legado – exceto que, no fundo, isso não é inteiramente verdade.

A primeira pessoa que Tim encontra na prisão de Oz é Batman. Porém, não o Batman no qual todos estamos familiarizados. Esse Batman era ninguém menos que o próprio Tim Drake.

Voltando em 2007, Geoff Johns criou uma história em Jovens Titãs chamada Titãs do Amanhã, onde a equipe saiu em uma aventura com a Legião dos Super-Heróis, aterrizando em uma linha do tempo alternativa, 10 anos no futuro. Nessa linha do tempo, os Titãs presenciaram seus mentores serem brutalmente destruídos em uma Crise, forçando-os a assumirem os mantos, atuando de forma bastante duvidosa.

Essa versão de Tim ficou completamente desiludida com morte de Bruce e assumiu o capuz na intenção de por fim ao crime no mundo para o bem de todos. Ele então pegou a arma usada por Joe Chill ao assassinar Thomas e Martha Wayne e começou a matar os vilões de Gotham, numa tática que eventualmente o colocaria na lista de mais procurados da Polícia de Gotham. Essa versão de Tim liderava os Titãs usando a motivação de que os fins sempre justificam os meios.

Até o momento, não há informação suficiente em Detective Comics que nos ajude a determinar o quanto de Titãs do Amanhã será trazido para a continuidade – ou se essa versão de Tim atuando como Batman é mesmo baseada nessa fonte. Durante Fim dos Tempos – história que também se passa em um outro futuro alternativo, dessa vez, 5 anos no futuro – Tim, durante um breve período, se tornou o Batman do Futuro, portanto, é totalmente possível que estejamos vendo um tipo de amálgama de elementos das duas histórias que, de alguma forma, possam ser usadas convenientemente.

Se esse Tim do futuro é a versão de Geoff Johns, então podemos rapidamente levantar algumas questões, como por exemplo, onde se encontra o resto da equipe? Bart Allen, Connor Kent e Cassie Sandsmark estiveram completamente ausentes da continuidade estabelecida no Rebirth, e alguns até mesmo foram excluídos d’Os Novos 52. Além disso, personagens como Tim, Ravena e Mutano não tiveram suas antigas conexões restabelecidas durante o Rebirth.

Também existe a questão em torno do motivo da versão de Tim Drake do futuro ter sido trazido para prisão de Mr. Oz – e o que isso poderia significar para o restante dos prisioneiros, afinal, quantos outros prisioneiros dos quais não os vimos terem sido raptados ainda existem?

A Lonely Place of Living continua em Detective Comics #966, que tem data de lançamento marcada para 11 de outubro.

  • O Homem do QI200

    Essa HQ Titãs do Amanhã, é boa? Recomenda?

    • Faz parte da fase dos Titãs do Johns, então é complicado de indicar. Se você gostou da abordagem dele para os personagens, vai gostar do arco; mas se, assim como eu, não gostou, não vai achar muita coisa interessante.