Dinâmica familiar e final chocante marcam Batman #16

Tom King e David Finch iniciara um novo arco em Batman #16, e o enredo de I Am Bane (Eu Sou Bane, numa tradução literal) indica que Batman e Bane ainda possuem assuntos não concluídos desde a extração do Pirata Psíquico das garras de Bane em Santa Prisca, em Batman #13. O clímax chocante dessa edição, de fato, torna a presença de Bane surpreendente e aterrorizando – visto que o personagem nem chega a aparecer. Enquanto Gotham se prepara para uma visita aterradora do mascarado, King aproveita a oportunidade para estabelecer uma divertida dinâmica entre Bruce Wayne e seus aprendizes.

Se o símbolo do Batman já é tão banal na vida real, isso não é nada comparado ao mundo dos quadrinhos do personagem – como os leitores puderam descobrir. Quando a Bat-família se reuniu para discutir os atuais eventos envolvendo o Cavaleiro das Trevas, nada melhor do que ir ao Batburger. A reunião – que está cheia de tiradas envolvendo heróis e vilões, numa clara inspiração/homenagem à Reino do Amanhã – inclui Bruce, Dick, Jason, Damian e Duke. Como se não fosse suficiente sair de sua zona de conforto, o lanche surpresa de Damian ainda veio com um action figure do Capuz Vermelho. Duke ficou surpreso que Bruce come seu batburger com garfo e faca.

Apesar do clima de descontração e fanfarronice que o roteiro de Tom King nos apresenta, Batman organizou tal reunião para alertar seus associados da tentativa de vingança que Bane planeja executar. Anteriormente, Batman invadiu o complexo de Santa Prisca de Bane para recuperar o Pirata Psíquico, esperando utilizar os poderes do personagem para reverter o dano mental causado em Gotham Girl. Batman diz que serão necessárias cinco sessões – cinco dias – para reverter o que o Pirata Psíquico fez com a heroína, e ao final desses cinco dias, Batman irá destruir a máscara do Pirata. Durante esses cinco dias, Batman espera que Bane faça o possível para recuperar o Pirata.

Enquanto os personagens comem suas refeições, Bruce exige que todos deixem Gotham. Todavia, o único dos aliados do Morcego que aparentemente resolve ouvir as palavras de Batman é Duke, que decidiu deixar a cidade por alguns dias. Os outros três brincam sobre ignorar o Batman, derrotar bane e morrer – novamente.

Após uma cena de Batman e Mulher-Gato juntos – esclarecendo aos leitores que Selina não saiu de Gotham -, Bruce vai para a Mansão Wayne, levar Gotham Girl para o seu primeiro dia de tratamento com o Pirata Psíquico. Ao chegar na Bat-caverna, Bruce, Gotham Girl e Alfred ficam chocados ao encontrar três corpos pendurados no teto. Um copo parece ser o de Damian, o outro parece ser o de Dick e o terceiro copo aparenta ser o de Jason. Em seus corpos está escrito, em vermelho, as palavras “Eu sou Bane”.

Se o trio de Robins estiver realmente morto, seria uma das conclusões mais inesperadas da história dos quadrinhos. Entretanto, o atual desenvolvimento dado para os personagens em suas próprias revistas torna essa conclusão impraticável. É possível que eles tenham sido capturados por Bane, e com Tim Drake dado como morto, a perda desse triunvirato criaria um cenário possível para Duke despontar oficialmente como o novo sidekick do Batman.

I Am Bane continua em Batman #17, que tem previsão de lançamento para o dia 15 de fevereiro.

  • Neo

    Como assim 5 dias de sessões?

    • Como se fosse uma terapia. Ao final da quinta sessão psicológica com o Pirata Psíquico, Gotham Girl vai estar curada. Cada edição do arco dura exatamente um dia, com o Batman tentando sobreviver aos possíveis ataques de Bane.

      • Neo

        Parece interessante, mas eu achava que era só o Pirata colocar a máscara e pronto kk.