Dark Nights: Metal #1 estabelece conexão entre Sandman e o Universo DC

Após meses de espera, dois prequels e inúmeros teasers, Dark Nights: Metal #1 chegou às mãos dos leitores. A primeira edição do evento de Scott Snyder e Greg Capullo desenvolve tramas apresentadas anteriormente e constrói uma história em cima da nova continuidade do Universo DC, iniciada há um ano com DC Universe: Rebirth #1.

Servindo como uma edição introdutória, Dark Nights: Metal #1 conclui a narrativa do diário de Carter Hall, apresentado anteriormente em Dark Days, e esclarece a ameaça que ronda o Universo DC. Mais que isso, a edição entrega uma bela surpresa, indicando que esse novo Universo DC pode entregar muito mais do que imaginávamos.

Ao final da edição, Batman rouba um pedaço puro de Metal Enésimo. Ao examinar a amostra na Batcaverna, uma vibração vinda do Diapasão Cósmico do Monitor leva o Cavaleiro das Trevas a encontrar o diário de Carter escondido embaixo do assoalho da Mansão Wayne. Batman então conclui que a ameaça anunciada pelos Falcões Negros e todos os perigos ao redor do Metal são verdadeiros, culminando na aparição de Sandman.

A criação de Neil Gaiman, que ajudou na fundação da Vertigo, entra em contato com o Cavaleiro das Trevas, anunciando que um “pesadelo apenas começou”. O cliffhanger da edição revela que Daniel Hall, o sucessor de Morpheus, e os Perpétuos existem na continuidade atual do Universo DC e que o Rebirth não está usando apenas os personagens de Watchmen para construir sua nova cronologia. O enredo criado por Scott Snyder, até o momento, insinuou que existe uma dimensão sombria dentro do Multiverso que era desconhecida até então e a aparição de Sandman indica que Metal está conectado com outras franquias já estabelecidas.

Apesar de historicamente o Sonho não fazer parte oficialmente do Universo DC, Grant Morrison estabeleceu em Multiversity que o Sonhar e seus residentes estão localizados na Esfera dos Deuses, existindo entre o Limbo e a muralha da Força de Aceleração. Isso explica alguns encontros entre o universo de Neil Gaiman e o Universo DC ao longo dos anos, como Sandman: Teatro do Mistério e Arqueiro Verde: O Espírito da Flecha. Até mesmo o primeiro arco de Sandman apresenta a Liga da Justiça e, anos depois, até mesmo a Morte fez uma aparição em Action Comics.

Ainda assim, Dark Nights: Metal #1 é a primeira vez que vemos Sandman aparecer em sua forma física, andando pela Mansão Wayne. Considerando as muitas conexões que o Sonhar mostrou ter com o Universo DC, o contato de Sandman com Batman não se torna uma incoerência e é bastante tangível. Apesar de sua presença e suas motivações serem desconhecidas, podemos inferir que o despertar do Multiverso Sombrio poderia colocar a existência até mesmo da Esfera dos Deuses em jogo.

O Mapa do Multiverso de Grant Morrison é o pináculo do cânone da DC Comics, e o Sonhar se encontra no mesmo plano de reinos como o Submundo, a Zona Fantasma e Apokolips. Os moradores desses mundos, como Neron, General Zod e Darkseid já traçaram um caminho para confrontar os heróis muitas vezes, mas o Sonhar permaneceu em silêncio. A natureza reclusa desse reino é explicada dentro da própria obra de Neil Gaiman, mas isso não tira sua capacidade de se aventurar pelos mundos dos heróis, como foi estabelecido agora em Dark Nights: Metal #1.

Isso não quer dizer que Sonho seria um personagem ideal para compor o Universo DC de forma recorrente. Uma vez, ele fez uma aparição na Liga da Justiça de Grant Morrison e mostrou que não seria natural ele fazer parte da equipe. Mas talvez isso esteja para mudar. A popularidade de nicho do personagem e sua subutilização pode abrir as portas para que ele apareça esporadicamente nas aventuras dos heróis da DC Comics. Não seria o primeiro personagem da Vertigo a migrar para o Universo DC – John Constantine, outro personagem que compartilha uma história com Sandman, fez o mesmo pouco antes de Flashpoint.

Embora o significado e as consequências da aparição de Sonho na Mansão Wayne tenham entusiasmado os leitores, permanecemos com os mistérios já estabelecidos que só começarão a ser explorados em Dark Nights: Metal #2, que tem data de lançamento marcada para 13 de setembro.

  • Monitor

    Constantine surgiu antes da Vertigo no próprio UDC regular pré-Crise.

    • Astawke

      Verdade

  • Dumas Barão

    Tem muita gente que acha desnecessária aquela história em que Morfeus visita Scott Free e o Marciano, mas se analisarmos, veremos que além de ser uma ótima edição, acabou enriquecendo ainda mais o UDC com a introdução dos Perpétuos.

    Alguém sabe quem era aquele “ser” (com umas correntes) falando com a Nevasca na revista da LJI do Rebirth ?

  • Sr_Raule

    muito bom