[ASILO ARKHAM] Os vilões mais incomuns do Batman

Desde a primeira aparição do Batman em Detective Comics #27, a mitologia do personagem se expandiu, abrindo espaço da a inclusão de novos aliados e, principalmente, novos vilões. O Cavaleiro das Trevas possui uma das mais vastas galerias de vilões da história dos quadrinhos, e hoje vamos explorar alguns dos inimigos mais incomuns do Homem Morcego.

MONGE LOUCO 

O Monge Louco surgiu em Detective Comics #31, de setembro de 1939, sendo o segundo vilão que o Batman enfrentou em suas aventuras. O personagem, que na verdade era um vampiro, conseguiu hipnotizar a então namorada de Bruce Wayne, Julie Madson e levá-la para a Hungria. Batman conseguiu seguir o vilão e – em uma cena que não vemos muito hoje em dia – usou um revólver com balas de prata para matar o Monge. O Monge Louco foi originalmente criado por Gardner Fox, Bob Kane e Sheldon Moldoff, e ganhou uma versão moderna em 2006, na minissérie Batman and the Mad Monk. Novamente trazendo o Monge vampiro, a série lidou com o culto de seguidores candidatos a vampiros.

DOUTOR DO CRIME

A galeria de vilões do Cavaleiro das Trevas ganhou mais um membro infame com a estréia do cirurgião Matthew Thorne, também conhecido como o Doutor do Crime, em Detective Comics #77, de julho de 1943, pelas hábeis mãos de Bob Kane e Bill Finger. A frente da Clínica do Crime, Thorne receita maneiras de curar qualquer operação criminosa. Apesar de suas habilidades no combate corpo a corpo e do uso de uma luz cegante no refletor de sua testa, o Doutor do Crime não foi páreo para Batman e Robin ao lutar com eles em cima de uma enorme tubulação de pulverização atômica a vácuo.

Desaparecido desde a Era de Ouro dos quadrinhos, o Doutor do Crime retornou em abril de 1980, em Detective Comics #494. Esta versão do vilão não difere muito da original, pois o Doutor do Crime aqui também usa seu conhecimento para ajudar os bandidos a ter sucesso em seus crimes. A grande mudança foi no primeiro nome do vilão, passando de Matthew para Bradford. Na trama, o Homem Morcego começa a investigar o caso e depois de um confronto com bandidos, Batman acaba ferido no braço. Alfred insiste que Bruce Wayne seja examinado por um profissional, e ele acaba sendo atendido pelo Dr. Thorne.

REMENDO MALUCO

Remendo Maluco estreou em Boy Commandos #15, de em maio/junho de 1946, com arte e história de Jack Kirby. O remendado vilão logo se tornou um grande inimigo de Robin, além de criar antipatia por adolescentes ao enfrentar o Comando Juvenil, que havia estreado em Detective Comics #64, de junho de 1942. A história conta que o vilão se feriu durante uma luta armada e depois de passar por uma cirurgia e se recuperar, só conseguia ver cores fortes. O Remendo Maluco retornou durante Os Novos 52, participando do arco Fim de Jogo.

SINALEIRO

O Sinaleiro entrou na vida do Homem Morcego na história destaque de Batman #112, de dezembro de 1957, novamente assinada por Bill Finger e Sheldon Moldoff. Deixando símbolos como pistas para seus crimes, o Cavaleiro das Trevas foi capaz de resolver a maioria e capturar o vilão. Sinaleiro ainda voltaria muitas vezes para desafiar a Dupla Dinâmica, mesmo nos dias atuais. Em Detective Comics #466, de dezembro de 1976, o Sinaleiro retornou à Gotham City, e após cometer diversos crimes, conseguiu concretizar seu grande plano e prender o Batman dentro do Bat-Sinal. O vilão também marcou presença n’Os Novos 52, aparecendo em Liga da Justiça da América #3, onde fez parte da Sociedade Secreta dos Supervilões.

TRIO TERRÍVEL

Em Detective Comics #253, de março de 1958, o Trio Terrível ficou famoso através do roteirista Dave Wood, que apresentou um grupo composto por vilões mascarados que chamavam a si mesmos de Raposa, Tubarão e Abutre. Eles usaram uma gigantesca escavadeira subterrânea para abrir um túnel até o Banco de Gotham, além de cometer crimes em terra, no mar e no ar. A base dos vilões ficava em um farol que abrigava o ninho do Abutre, a toca da Raposa e a caverna do Tubarão. Batman e Robin derrotaram os vilões ao se passar por múmias dentro de sarcófagos roubados pelo trio.

O Trio Terrível também teve participação na era moderna dos quadrinhos e em julho de 2007, em Detective Comics #832, o Tubarão foi encontrado morto e desfigurado. Batman passou a suspeitar então dos antigos parceiros do aquático vilão, Abutre e Raposa. Porém, durante a investigação, Raposa e Abutre também se tornam alvos do misterioso assassino.

HOMEM-CALENDÁRIO

Em setembro de 1958, em Detective Comics #259, o Homem-Calendário fez sua estréia, numa história criada por Bill Finger com arte de Shledon Moldoff. Os métodos originais de Julian Day o obrigavam a usar um traje diferente em cada crime. Neste título, o personagem idealizou suas capas e trajes de acordo com as quatro estações do ano e acrescentou uma quinta: a estação indígena da chuva. A aparência do personagem foi mudando drasticamente com o tempo, dos uniformes bizarros da Era de Bronze às tatuagens da era moderna. Vale destacar aqui a versão do personagem em Batman: O Longo Dia das Bruxas, que fez uma clara referência à Dragão Vermelho, obra de Thomas Harris onde Batman e Julian Day estabeleceram uma relação semelhante à Will Graham e Hannibal Lecter, com o vilão auxiliando o herói a encontrar um assassino em série, porém, aparentemente, omitindo informações, deixando o criminoso sempre um passo à frente do Homem Morcego.

DOUTOR DUPLO X

Em Detective Comics #261, Batman enfrentou um dos primeiros vilões de sua galeria cuja origem se baseia na ficção científica. Na aventura de novembro de 1958, Dave Wood e Sheldon Moldoff nos trazem o Doutor Duplo X. O personagem, aliado à uma duplicata extremamente forte, foi páreo duro para Batman e Robin, até que o Cavaleiro das Trevas destruiu a máquina capaz de criar réplicas do vilão. O vilão retornou em fevereiro de 1982, em World’s Finest #276, ao sair do Asilo Arkham e prender Batman em uma armadilha. Batman, com o auxílio luxuoso de Superman, conseguiu derrotar o vilão e sua réplica super forte.

HOMEM-PIPA

O Homem-Pipa teve sua primeira aparição em Batman #133, de agosto de 1960. Além de utilizar uma espécie de planador caseiro, o Homem-Pipa também fabricava pipas especiais para serem usadas como armas. Apesar da excentricidade engenhosa, ele logo teve sua carreira interrompida pela Dupla Dinâmica. Recentemente, o personagem teve sua origem reestruturada durante o Rebirth.

HOMEM DAS BOLINHAS

Bill Finger e Sheldon Moldoff, especialistas em criar novo vilões para o Homem Morcego, trouxeram em Detective Comics #300, de fevereiro de 1962, o bizarro Polka-Dot Man também chamado de Mister Polka-Dot ou, como ficou conhecido no Brasil, Brotoejo, Bolinha ou Homem das Bolinhas. O maluco vilão usava um uniforme cheio de bolinhas, que na verdade eram discos removíveis que viravam instrumentos incríveis, como serras giratórias, discos voadores e bolhas gigantes. O vilão reapareceu em Batman GCPD #1. Abordando alguns problemas típicos de quem trabalha em uma cidade infestada de supervilões, a narrativa trouxe uma perspectiva interessante. O ponto alto de Brotoejo na história foi registrar um boletim de ocorrência contra Harvey Bullock, devido a sua brutalidade.

HOMEM-GATO

Em Detective Comics #311, de janeiro de 1963, Bill Finger e o artista Jim Mooney introduziram mais um vilão ao universo do Cavaleiro das Trevas: o Homem-Gato. Na edição, o famoso caçador Thomas Blake retornou para Gotham City, entediado com sua sequência de sucessos como captor de grandes felinos. Precisando de dinheiro para pagar suas dívidas de jogo, Thomas entrou para o crime como o Homem-Gato. Durante sua estréia em assaltos, encontrou Batwoman e a convidou para sair, mas a heroína recusou a proposta. Logo depois, o vilão cairia em uma cachoeira subterrânea e seria dado como morto. Porém, o luto pelo gatuno durou pouco tempo, pois ele reapareceu em Detective Comics #318, de agosto de 1963.

Após retornar de sua suposta morte, o vilão se declarou para Batwoman, que fingiu brigar com Batman e se aliou ao vilão como sua Mulher-Gato. O bandido percebeu que havia sido enganado, consegue capturar a Dupla Dinâmica e também raptou a Batwoman, mas os heróis conseguem se libertar a tempo de salvá-la. No fim, o barco onde o Homem-Gato estava explodiu, e, aparentemente, o vilão termina mais uma edição dado como morto. Aquela história dos gatos terem mais de uma vida se fez presente e o Homem-Gato se tornou vilão recorrente nas aventuras do Cavaleiro das Trevas. O Homem-Gato também fez parte do bem sucedido retorno da equipe de supervilões Sexteto Secreto, na fase escrita por Gail Simone.

HOMEM DE DEZ OLHOS

Um dos inimigos mais estranhos do Cavaleiros das Trevas fez sua estréia em Batman #226, em novembro de 1970. Graças a Frank Robbins e Irv Novick, surge o Homem de Dez Olhos. Philip Reardon, um veterano da Guerra do Vietnã que atuava como segurança, ficou cego em uma explosão quando ladrões detonaram um cofre na loja em que trabalhava. Para sua sorte, um médico pouco ortodoxo chamado Dr. Engstrom conseguiu transferir os nervos ópticos de Reardon para a ponta de seus dedos, permitindo que ele enxergasse com as mãos.

Espero que tenham gostado. Será que eu esqueci de algum vilão? Provavelmente sim! Então não deixem de comentar. Até o fim do mês!

  • Dumas Barão

    Estou adorando a abordagem que Tom King tem dado para o Homem-Pipa, gostei bastante da edição 27 e acredito que esse personagem terá papel fundamental no desenvolvimento do arco.
    Além disso, Batman é meu herói favorito justamente por ter a melhor galeria de vilões: Coringa, Charada, Hera, Pinguim, Mulher-Gato, Bane etc.