[ASILO ARKHAM] O Batman na Década de 1980

Poucas décadas trouxeram tantas mudanças para o Batman quanto os anos 80. Esses anos transformaram o até então aventureiro e – às vezes problemático – Batman em um Cavaleiro das Trevas sombrio e determinado. As inovadoras obras de Frank Miller trouxeram o desfecho e o início definitivo para o personagem, com uma visão soturna e realista que se tornaria regra para qualquer história do Morcego.

Só que a década de 80 não se resume somente a Frank Miller e suas reinvenções; no início da década, os títulos regulares do Batman começaram a realizar crossovers. Já ao final da década, cada publicação passou a ter seu estilo próprio, com duplas distintas de artistas e roteiristas. Batman passou a estrelar novos títulos também, além de continuar suas aventuras solo antológicas em Legends of the Dark Knight.

Esta foi a década onde o primeiro Robin, Dick Grayson, se tornou Asa Noturna e um novo Robin apareceu para ocupar sua vaga, para morrer de forma trágica. Batgirl se aposentou e ficou paraplégica, enquanto novos vilões, como Crocodilo, Máscara Negra e Ventríloquo tornavam Gotham City mais sombria com suas ações criminosas. E no final da década, um terceiro Robin surgiria, totalmente ajustado ao início dos anos 90.

1980
Este foi o ano de Robin. O Menino-Prodígio cresceu e tornou-se um adolescente incrível e, graças ao seu novo título, The New Teen Titans, passou a demonstrar rapidamente maturidade para ser um grande líder.

The New Teen Titans #1 – novembro de 1980

Robin, Kid Flash, Moça-Maravilha, Mutano, Estelar, Ravena e Cyborg. A série começou com a enigmática Ravena recrutando a equipe para enfrentar uma ameaça extraterrestre, os Gordanianos, e libertar sua prisioneira, uma princesa alienígena chamada Estelar.

The New Teen Titans #2 – dezembro de 1980

Este numero introduziu um dos maiores inimigos de Dick Grayson, o Exterminador. Slade Wilson tornou-se adversário contínuo dos Novos Titãs quando seu filho, Devastador, que também era um assassino, morreu em um confronto com os heróis.

1981

O escritor Gerry Conway e o artista Don Newton se tornaram a dupla criativa de Detective Comics no final de 1980. No mesmo ano, Conway assumiu também os roteiros de Batman. E com o mesmo roteirista cuidando dos dois títulos principais do Homem Morcego, as histórias passaram a se cruzar mais facilmente.

Detective Comics #500 – março de 1981

Comemorando a edição 500 de sua mais antiga publicação, a edição especial de aniversário recebeu um formato maior, com uma capa onde figuravam todos os convidados da revista. A história principal explorou as origens do Batman, transportando o herói para uma terra alternativa onde Thomas e Martha Wayne não haviam morrido.

Secret Origens of Super-Villains

Esta edição continha diversas republicações com as origens de Capitão Bumerangue, Mestre dos Oceanos e outros vilões. A única história inédita contava o passado do Pinguim. O enredo descrevia a vida de Oswald Chesterfield Cobblepot, um menino com uma mãe dominadora que o obrigava a levar um guarda-chuva onde quer que fosse.

1982

Neste ano, a Era de Ouro voltou ao mundo do Batman assim que Gerry Conway começou a garimpar as histórias das décadas de 30, 40 50 para dar nova vida à alguns membros da galeria de vilões do Cavaleiro das Trevas que estavam esquecidos, colocando Batman em confronto com ninguém menos que o Doutor Morte, Hugo Strange e o Monge Louco.

Detective Comics #511 – fevereiro de 1982

A aparição de um novo vilão, Miragem, capaz de projetar ilusões com uma joia em seu pulso, ofereceu um desafio interessante para Batman. Porém, a maior surpresa desta edição foi quando Bruce Wayne deixou o cargo de Diretor das Indústrias Wayne e da Fundação Wayne, deixando seus negócios nas competentes mãos de Lucius Fox.

1983

Vários personagens importantes estrearam em 1983. Os vilões Crocodilo, Ladrão da Noite e Nocturna e os heróis Geoforça, Halo e Katana, que fizeram parte dos Renegados. Mas nenhuma destas estreias foram tão importantes quanto a introdução do jovem ruivo Jason Todd, que neste momento tinha uma origem muito próxima à de Dick Grayson.

Batman #357 – março de 1983

Com Dick crescido, liderando sua própria equipe, cada vez mais fazia menos sentido ele ser o parceiro mirim Robin. Percebendo que era hora de arranjar um substituto, a DC Comics voltou à mesma fonte que havia tornado Dick tão famoso, o circo. A família de Jason também era formada por acrobatas que se apresentavam em um circo que estava sendo pressionado pela máfia local.

Detective Comics #526 – maio de 1983

Crocodilo estava em ascensão, determinado a se tornar um novo chefão do crime. Enquanto Batman perseguia o vilão, Dick Grayson contou com a ajuda dos Todd Voadores, que estavam sendo ameaçados pelo esquema de proteção do Crocodilo. O casal Todd acabou virando comida para os crocodilos de estimação do vilão e, em meio a essa tragedia, o jovem Jason se refugiou na Mansão Wayne.

1984

Batman e os Renegados era um sucesso, assim como o título da equipe de Robin, The New Teen Titans, que foi impulsionado com a aventura O Contrato de Judas.

Batman #368 – fevereiro de 1984

Nesta edição, vemos Dick Grayson retornando à Batcaverna para devolver seu traje de Robin. Com isso, Jason Todd o sucedeu como parceiro de Batman na luta contra o crime.

Tales of the Teen Titans #44 – julho de 1984

Terra, membro dos Titãs, traiu a equipe, pois trabalhava como agente infiltrada para o Exterminador. Além de atacar Ravena, Terra deu ao Exterminador informações que ele precisava para derrotar Estelar, Moça-Maravilha, Mutano e Cyborg, cumprindo assim o contrato que o filho do Exterminador, Devastador, nunca foi capaz de cumprir. Ciente que seus amigos precisavam de sua ajuda, Dick criou um novo uniforme e adotou um novo nome, Asa Noturna, baseado em um mito kryptoniano.

1985

Celebrando seus 50 anos de publicações em quadrinhos, a DC Comics não deixou passar em branco e lançou um evento monumental: Crise nas Infinitas Terras, uma maxissérie em 12 edições unindo praticamente todos os heróis da editora para lutar contra o Antimonitor.

Batman #386 – agosto de 1985

Este número introduziu o perverso gangster Máscara Negra, contou sua origem em detalhes e trouxe também como ele iniciou seu império criminoso.

1986

Além de Batman: O Cavaleiro das Trevas, a Watchmen e Maus fizeram com que os quadrinhos alcançassem o público adulto, o desafiando com assuntos polêmicos e narrativas sofisticadas, nunca antes vistas.

Batman #400 – outubro de 1986

Nesta edição especial, Ra’s Al Ghul liderou uma fuga do Asilo Arkham, incluindo os vilões Coringa e Pinguim. Em seguida, ele se ofereceu para matar todos os vilões fugitivos se Batman concordasse em apoiar sua campanha para sucedê-lo na liderança do ecoterrorismo mundial.

1987

Frank Miller mostrou que ainda não tinha esgotado suas ideias para elevar Batman a um patamar ainda mais alto quando reescreveu sua origem em Batman: Ano Um. Porém, Ano Um não foi o único lançamento deste ano e uma nova equipe surgiu, o Esquadrão Suicida, além de uma versão incomparável da Liga da Justiça. Neste ano, também tivemos uma nova origem para Jason Todd, bem mais original.

Suicide Squad #1 – maio de 1987

O número inaugural da equipe apresentou vários supervilões embarcando em missões para a Força-Tarefa X, do Governo Americano, para ganhar privilégios e até a possibilidade de escapar da prisão.

Batman #408 – junho de 1987

Com o recomeço oferecido por Crise nas Infinitas Terras, a origem de Jason Todd foi alterada, já que a antiga era apenas uma cópia da origem de Dick Grayson. Batman demite Dick Grayson para seu próprio bem, depois deste quase ser morto pelo Coringa. Mais tarde, o Cavaleiro das Trevas encontra o garoto que iria se tornar o segundo Robin quando surpreende o maltrapilho Jason tentando roubar os pneus do Batmóvel.

Batman: O Filho do Demônio – setembro de 1987

Batman uniu forças a Ra’s Al Ghul e sua filha Thalia para combater um terrorista chamado Qayin, que tinha criado uma arma que controlava o clima. Durante a perseguição, O Cavaleiro das Trevas e Thalia se sentiram atraídos um pelo outro. Ao final da edição, foi revelado que Thalia havia dado a luz ao filho de Batman e havia entregado o bebê para adoção.

1988

A DC Comics finalmente se deu conta de como utilizar o potencial das edições especiais, das graphic novels e das minisséries de luxo para criar histórias arrebatadoras. A Piada Mortal e Batman: O Messias são duas produções que representam essa mudança, pois sem a obrigação da continuidade, estes formatos possibilitaram aos artistas trabalhar no seu próprio ritmo e contar uma história completa da maneira que lhe convinha.

Detective Comics #583 – fevereiro de 1988

Este número apresentou o novo vilão Ventríloquo e seu boneco de madeira, Scarface.

Batman: O Messias – agosto de 1988

A minissérie que se iniciou em agosto trouxe o líder de um culto secreto, considerado por muitos como uma espécie de Messias, Díacono Blackfire. Batman foi drogado e levado ao subterrâneo de Gotham e coube ao Robin libertar o Homem Morcego do controle mental que Díacono exercia sobre ele.

1989

Desde 1966, a chamada “batmania” não chamava tanta atenção quanto em 1989. O filme Batman foi lançado e causou furor de publicidade. A camiseta preta com o sinal do morcego no oval amarelo virou moda. E com os quadrinhos não aconteceu diferente, pois grandes eventos vieram, como a morte de um Robin e o surgimento de outro, além da histórica Batman: Asilo Arkham, com um estilo de arte totalmente a frente de seu tempo. Não podemos esquecer o nascimento de uma lenda, com Batman: Legends of the Dark Knight.

Batman #428 – janeiro de 1989

A versão pré-Crise de Jason Todd como Robin não teve a mesma popularidade alcançada por Dick e a versão de Jason pós-Crise como um ladrão que fazia parceria com Batman também não teve boa recepção. Assim, a DC Comics deixou para seus leitores o destino do novo Robin.

Espero que tenham gostado deste artigo. Isso foi o que de melhor aconteceu na década de 80, um período memorável para o Homem Morcego, com histórias que até hoje geram discussões e reflexões. Não deixem de comentar e nos vemos no mês que vem!