As Terras desconhecidas do Multiverso DC

Quem leu The Multiversity Guidebook – o Guia do Multiverso, que corre um grande risco de não sair aqui no Brasil, por conta da Dona Panini – sabe que o Multiverso DC é composto por 52 Terras, que ocupam o mesmo lugar num espaço banhado pela Sangria, vibrando em frequências diferentes. Mas o interessante é que 7 dessas 52 Terras ainda permanecem incógnitas.

No processo de criação de toda a estrutura multiversal, Grant Morrison deixou, propositalmente, sete terras abertas, para que outros escritores também pudessem explorar seus conceitos próprios e contribuir com a multiversidade. O problema é que, depois de Ultra Comics e Multiversity #2, ninguém teve coragem de colocar a mão na massa – e se depender de Dan DiDio, essas terras vão permanecer desconhecidas por um bom tempo.

Devido ao silêncio do editorial da DC, inúmeras especulações surgiram referentes aos universos de histórias que poderiam ocupar essas vagas. Como todos aqui no Gloriosa DC adoram uma especulação, elencamos algumas histórias fora da cronologia que merecem um espaço nesse gigantesco Multiverso.

DC Comics Bombshells

A recente revista digital, baseada em uma linha de action figures e capas variantes, veio com uma ideia inovadora: colocar as mulheres como pioneiras no ramo do heroísmo. É um conceito que já foi arranhado com a Terra-11, só que em Bombshells isso é feito com um maior toque de classe, colocando as heroínas em contexto histórico real, ao mesmo tempo que levanta diversas críticas à sociedade patriarcal, ao machismo e à homofobia.

DC Comics- Bombshells (2015-) - Print Version 001-000

Na história, Batwoman é uma jogadora de baseball que luta contra o crime durante a noite e que é, abruptamente, recrutada por Amanda Waller para lutar na Segunda Guerra Mundial. Paralelo à isso, vemos o primeiro contato de Diana com o mundo exterior e Supergirl e Stargirl aprendendo a lidar com seus poderes numa Rússia Comunista.

A história continua sendo lançada semanalmente, e pelo seu progresso, teremos em breve uma Liga da Justiça composta unicamente por mulheres. É um prato cheio para o Multiverso.

Liga da Justiça: Deuses e Monstros

Se existe uma pessoa que pode ser considerada um gênio da adaptação, essa pessoa é Bruce Timm. Ele é o mentor do universo animado da DC Comics, e tem o incrível poder de capturar os melhores elementos dos quadrinhos e levar para a TV, a fim de atingir fãs de longa data e o público civil.

E então, após finalizar os trabalhos em Batman: O Cavaleiro das Trevas – Parte 2, ele se ausentou por dois anos de qualquer projeto para trabalhar naquilo que se tornaria a melhor animação da DC Comics: Liga da Justiça: Deuses e Monstros.

Justice-League-Gods-Monsters-Movie-Series

No universo de Deuses e Monstros, os heróis nada se parecem com os heróis clássicos que conhecemos. Superman é filho do General Zod e teve uma criação hispânica na Terra; Mulher Maravilha é da linhagem dos Novos Deuses de Nova Gênese; e Batman é o cientista Kirk Langstrom, que se tornou um vampiro após tomar o soro de uma experiência própria. Juntos, os três formam uma Liga da Justiça não muito convencional, usando de força e violência para eliminar seus inimigos.

Por mais que pareça um universo genérico baseado na Terra-3, a Terra de Deuses e Monstros não é uma Terra maligna de fato, é um universo onde seus heróis, por conta de sua trajetória difícil, deixaram de lado seu senso de moralidade.

Esse universo ganhou um longa de animação, três curtas animados que serviram de prólogo para o filme, e uma série de quadrinhos digitais que contou a origem e a trajetória da Trindade e da Liga da Justiça. E pelo que parece, Bruce Timm não vai desistir desse universo tão fácil, e uma segunda temporada de curtas animados já está a caminho. Uma possível continuação já é esperada, e sua entrada para o Multiverso DC, iminente.

Injustice

Tenho certeza que esse tópico você viu fazendo a curva na esquina, mas é inegável a força que Injustice tem. Mostrar um Superman louco e tirano não é novidade na DC, mas nenhuma outra história se mostrou tão competente quanto Gods Among Us.

Injustice - Gods Among Us v1-000

Baseada no game lançado em 2013, a série digital conta como o Superman enlouqueceu e se tornou um tirano, enquanto grupos de heróis se dividiram e lutaram uns contra os outros na defesa de seus ideais. Com quatro temporadas já lançadas – e um quinto e último ano encaminhado para o começo de 2016 -, Injustice conseguiu explorar elementos dignos de um elseworld, recuperando personalidades de alguns heróis da Terra-0, que se perderam com o reboot.

Talvez o fantasma de um segundo jogo paire sobre o editorial, que mantém um pé atrás e hesita em edicionar esse universo ao Multiverso DC. Mas com o que a DC está se propondo para os próximos anos, talvez não demore muito para isso acontecer.

Batman: Ano 100

Imagine que o Batman tenha surgindo em 1939, trabalhando às escondidas da polícia, e se tornado uma lenda na cidade. Então, 100 anos depois, no ano de 2039, Gotham City é um estado policial, e seus cidadãos vivem numa quase ditadura, sujeitos aos métodos fascistas daqueles que outrora juraram protegê-los. Nesse contexto, um agente federal é morto, e a culpa recai sobre o Batman. Céticos quanto a existência do Homem Morcego, o Departamento de Polícia de Gotham, liderado pelo Capitão Gordon – neto do original Comissário Gordon -, inicia uma investigação para solucionar o caso.

Batman - Year 100 (2006) 001-000

Escrita e desenhada por Paul Pope, Batman: Ano 100 não é uma das histórias mais famosas do Batman, mas é uma história que brinca com toda a mitologia e as grandes histórias do Morcego, construindo um universo próprio. Em momento algum é citado se o Batman de 2039 é o Bruce ou algum sucessor, o que traz um tom místico para uma história cyberpunk.

Em alguns momentos, a história lembra muito Gerações, de John Byrne – que atualmente ocupa a Terra-38 -, mas com uma aura mais sombria. É improvável que entre para o Multiverso, mas seria uma excelente aquisição.

Sociedade da Justiça: A Era de Ouro

A atual Terra-2 do Multiverso DC é um universo interessante, com boas histórias e bons personagens. Mas a saudade da Terra-2 com os heróis da Era de Ouro é grande, e um dos grandes desejos dos dcnautas é ver o retorno desse time de heróis. E para isso, por que não criar uma Terra para os heróis da Era de Ouro?

JSA - The Golden Age (1995) (digital-Empire) 001

Sociedade da Justiça: A Era de Ouro foi um elseworld escrito por James Robinson no final dos anos 1990, e que trouxe uma visão moderna para os acontecimentos dos anos 1940. Nesse universo, os heróis da Era de Ouro lutaram na Segunda Guerra Mundial, e muitos voltaram para casa mudados, abandonando o manto e se dedicando a causas sociais. Até que uma conspiração é revelada, e muitos desses heróis precisam voltar a ativa para impedir uma catástrofe global.

A história utiliza quase todos os heróis da Era de Ouro da DC, e tem bastante potencial para figurar como uma das Terras do Multiverso. Uma Terra onde a Sociedade da Justiça e o All-Star Squadron defendem a verdade e a justiça, inspirando heróis da Corporação Infinito, seria algo interessantíssimo de ler, se bem executado, claro.

Essas são apenas algumas sugestões dentro de muitos outros elseworlds que a DC pode usar, como JLA: Created Equal, o universo onde todos os homens morreram, restando apenas Superman e Lex Luthor; ou JLA: Destiny, onde Batman e Superman nunca existiram, e a Liga da Justiça foi fundada por Thomas Wayne.

São inúmeras as possibilidades, basta o editorial da DC querer.

Se você quer descobrir mais sobre as 52 Terras do Multiverso DC, é só clicar aqui para ir direto para o nosso post expositivo das 52 Terras, e aqui para ir para o nosso artigo histórico sobre a história do Multiverso DC.

E se tiver sugestões de elseworlds que poderiam funcionar no novo Multiverso DC, é só deixar nos comentários.

  • Gaio Cruz

    A Terra de Injustice já apareceu em Convergência. Então, sim, Injustice está no Multiverso.

    • Apareceu, como inúmeras outras Terras que não aparecem no Mapa do Multiverso. O que sugiro no texto é que ela ocupe uma vaga definitiva, e não fique nessa de “Terra que cresceu acima/abaixo do Multiverso”.

      • Julius

        Ou pode ser linhas do tempo alternativas das Terras já existentes. Sei lá, tô falando merd@

  • V de Viadão

    Passando só pra avisar que uma delas provavelmente é o Universo de Watchmen

  • Julius

    Que tal uma delas ser o DCEU?

  • Remy

    Quando o Barry salvou a m@e dele, em Flashpoint, ele criou uma terra alternativa. E dentro dessa linha do tempo alternativa, poderia tbm ter criado mais outras 51 terras alternativas? Tô viajando???????
    Mas se isso fosse possível, muito por conta de todos os Flash’s existentes, nos daria um número infinito de terras, deixando a cabeça de qualquer um girando ao pensar nas inúmeras possibilidades.

    P.S. – Tem tbm mais duas versões, ambas ligadas ao Vandal Savage. Uma por conta do arco NOS TEMPOS DE SAVAGE, mas que conseguiram reverter. Mas aparece o Batman liderando uma milícia e com outro tipo de uniforme. Então, uma vez que essa versão foi apresentada, não pode mais ser ignorada.
    O mesmo eu digo de quando SAVAGE enfim consegue destruir o planeta terra. Mesmo que, com a ajuda do Superman, tenham conseguido reverter, também não pode ser ignorada, como se nunca estivesse existido. Sei lá… apenas minha opinião.

    Meu amigo, me perdoe, mas como a viagem é gratuita, eu aproveitei. kkkkkkkkkkkk
    Muito obrigado mais uma vez pelo excelente texto e pelo tema apresentado.

  • Eduardo do Carmo

    A Terra-50 não seria a mesma Terra de Injustice? Mas com um reboot?

    • Não, a Terra-50 é a Terra dos Lordes da Justiça. O conceito é parecido com Injustice, mas é baseado em dois episódios da animação da Liga da Justiça.