As consequências de The Button na carreira do Batman

Em Batman #22, penúltimo capítulo do crossover The Button, a versão Flashpoint de Thomas Wayne diz à Bruce para que ele largue seu manto de Cavaleiro das Trevas – que ele adotou como consequência da morte de seus pais – e encontre felicidade na vida, coisa que qualquer pai iria querer para seu filho. Com The Button tendo chegado à sua conclusão, as palavras inesperadas de Thomas ainda ecoam, e as consequências dessa aventura darão à Bruce sua primeira oportunidade de testar o desejo de seu pai e decidir se irá segui-lo ou continuará como Batman. Enquanto os atuais títulos do Cavaleiro das Trevas nos mostram que ele ainda não aposentou o uniforme, as páginas finais de The Button em The Flash #22 põem Bruce em uma situação um tanto estranha que o colocará frente a frente à uma importante decisão que ele nunca enfrentou antes.

Enquanto Bruce e Barry estão nas sepulturas de Thomas e Martha Wayne, ambos refletem o que acabou de acontecer durante o inesperado reaparecimento do Flash Reverso, mas com diferentes olhares. Barry vê a oportunidade que teve durante o Flashpoint de ter passado algum tempo com sua mãe como um presente, enquanto Bruce vê a experiência similar que teve com seu pai como cruel.

Os dois também discutem sobre o misterioso retorno de Thawne e seu desaparecimento logo depois; como Barry não pensa duas vezes em dar continuidade ao caso, ele se surpreende com indecisão de Bruce sobre se ele quer fazer o mesmo. Em seguida nos é apontado que talvez não seja apenas seu papel como super-herói que Bruce esteja considerando desistir, mas também da sua personalidade de detetive.

Depois, na Mansão Wayne, Bruce aparece pensativo olhando para o céu noturno de Gotham, quando a familiar visão do Bat-sinal aparece, como em centenas de vezes antes. Ao contrário das ocasiões anteriores, Bruce não corre imediatamente para a Bat-caverna pronto para entrar em ação; em vez disso, ele permanece imóvel, afastando eventualmente seu olhar do sinal no céu enquanto Alfred o questiona, perplexo, se ele iria responder. Essa questão não é respondida nessa edição já que logo depois se da início à um epílogo, com direito a primeira aparição do Dr. Manhattan no Universo DC.

Esse é, em suma, um dos momentos mais importantes e fundamentais para Bruce fora de um título do Batman. Uma única página pode indicar uma possível mudança permanente no futuro do Cavaleiro das Trevas.

É claro que existem outras possibilidades além de Bruce deixar de ser o Batman. Ele poderia adotar uma nova identidade de combatente do crime, talvez uma menos obscura que lhe permitisse cumprir os desejos de felicidade de seu pai, enquanto continuaria a honrar sua morte. Em consequência, o manto do morcego poderia ser passado para qualquer membro da sempre crescente Bat-família.

Mas o resultado mais provável seria Bruce permanecer como Batman, mas talvez finalmente livre da escuridão que ele vem levando consigo há anos, um Batman que se encontra motivado pelas palavras finais de seu pai, ao invés de seu suspiro final. Seja qual for o futuro de Batman, ele promete revelar-se em breve como parte da trama que vem sendo orquestrada para o Rebirth.

  • Eduardo Faria Guimarães

    Eu fico até com medo disso,é algo que pode mudar pra sempre a vida do personagem,espero que o Tom King seja bem cuidadoso nesse aspecto.

    • Reinaldo José da Silva

      até pode mudar drasticamente a vida dele, mas nada que um rebirth não resolva..hehehe

  • David Pinheiro

    Um Batman iluminado e feliz? Uhmm.