Afinal, o Coringa é imortal?

Gloriosos leitores, chega às bancas Batman #41 – mix da Panini -, e com ele o fechamento do arco Fim de Jogo (Endgame, no original), que trouxe mais um emblemático embate entre Batman e seu nêmese, Coringa.

Fim de Jogo trouxe uma grande polêmica ao mundo dos quadrinhos. Um dos charmes do Coringa é que ele é praticamente uma força da natureza: ninguém sabe de onde veio e muito menos pra onde vai, simplesmente aconteceu. Apesar de alguns arcos de histórias tentarem esmiuçar as origens do vilão, o personagem sempre esteve envolto em mistérios, característica muito bem aproveitada no filme Batman: O Cavaleiro das trevas, de Christopher Nolan.

Quando a premissa do Coringa imortal foi anunciada, provocou a fúria da internet, com direito à vídeos e resenhas agressivas feitas pelos leitores e até mesmo por não-leitores. E graças ao barulho dos “especialistas”, trouxe os holofotes para Scott Snyder – roteirista de Fim de Jogo – que teve que segurar a barra dizendo que no final a história valeria à pena. Veja só como uma boa polêmica pode ajudar a aumentar as vendas do morcegão.

endgame3

Fim de Jogo foi mais uma história de embate entre Batman e Coringa, e meu objetivo não é analisar esse arco por completo, e sim esclarecer essa dúvida que paira no ar e quem sabe lançar um pouco de luz para quem tomou como verdade absoluta que a DC ousou mudar as origens do Coringa. No final do arco, em meio aos acontecimentos onde Coringa fazia as pessoas acreditarem que ele era imortal, alguns dos engôdos foram caindo por terra e a certeza absoluta que todos tinham, logo deu lugar à um ponto de interrogação. Isso acabou jogando novamente o Coringa em um mar de mistérios onde sua psique manipuladora enganou a muitos, inclusive o próprio leitor várias vezes. Tantas viradas na trama acabaram levando os fãs a se questionar: será que no final das contas Scott Snyder ficou com medo da própria história que queria contar? Ou será que tudo realmente foi apresentado conforme ele queria desde o início?

Vamos analisar: temos o emblemático personagem do Palhaço do Crime, de certo modo ainda intocado sobre seu passado, tendo manipulado a todos sobre quem ele realmente é e protagonizando mais um plano sinistro contra Gotham City. Não tenha medo leitor, o Coringa não foi deturpado, todas as características que o tornam fascinante foram mantidas, afinal, na última edição você não terá isso estampado como um simples SIM ou NÃO, mas as dicas estarão nas entrelinhas, nem todos os testemunhos são verdadeiros, nem todas as provas são irrefutáveis. Batman descobre que a própria fonte de toda a loucura espalhada em Gotham também poderia ser responsável pela regeneração de seu antagonista, chegando ao ponto de ironizar o palhaço, provocando-o a repetir os mesmos feitos de sua regeneração, protagonizando uma bela troca de papéis onde podemos ver o Coringa com um lampejo de desespero e impotência perante o morcego.

Batman-Endgame

O final dessa saga provocará um afastamento de Bruce da revista do Batman, mas e quanto ao Coringa? Apesar da ambiguidade bem executada, fica claro ao juntar os fatos que ele não é um ser humano imortal. Mas e como agente do caos? Bom, como eu disse no inicio do artigo, ele simplesmente aconteceu, e a pergunta que se deve fazer é quando ele aparecerá novamente.

  • Mark

    (SPOILER)

    Assim como o Bruce, o Coringa também “esqueceu” quem era e não é mais coringa…